Conte o que a vida lhe ensinou

Conte o que a vida lhe ensinou

Um bom discurso não é feito apenas com o conhecimento do assunto. Quem nos ouve em uma palestra não se conecta com ideias generalizadas e conceitos distantes de uma vida comum. Falar em público é colocar em prática a arte de convencer e emocionar.

Apresentar um assunto é revelar dados sobre ele, divulgar pesquisas, entreter com frases de impacto, com uma apresentação de um vídeo, de uma música, um exercício, mas comover, entusiasmar, encantar, influenciar é outra história. A palavra é essa. História!

Dale Carnegie nos ensina em suas obras sobre comunicação e oratória, que um bom orador deve nos contar o que a vida lhe ensinou. Compartilhar com sua audiência uma experiência que lhe tenha servido como aprendizado, certamente será uma grande lição para quem está te ouvindo. Mas devo contar qualquer história? Não! Deve-se trazer uma passagem de sua vida, ou várias situações que fortaleçam sua autoridade no assunto, que motivem e encorajem o ouvinte a acreditar que ele também pode conseguir esse feito. Se a história não for sua, traga detalhes, nomes e demonstre que lição você aprendeu com ela. Remexa em suas memórias. Uma frase que sua avó tenha dito na infância ou o exemplo de seus pais fortaleceram sua vontade de estar ali? Então, conte!

Suas batalhas pessoais para chegar onde está, seus fracassos, esperanças, conquistas, se apresentados com humildade, podem ser um material rico de emoções e de um método de ensino infalível. Já observou uma criança de 2 anos ouvindo a história da bruxa?

O maior orador da humanidade, Jesus Cristo, ensinava contando histórias, usava figuras de linguagem como metáforas, parábolas. Nunca nos esqueceremos de suas mensagens e elas serão sempre atuais. Percebe a riqueza dessa didática de ensino?

Conecte-se com sua plateia e observe se estão empolgados, participativos. Esse é o termômetro para saber se sua apresentação está no caminho certo. E não se esqueça: seja você mesmo!

Se você falar com um homem numa linguagem que ele compreende, isso entra na cabeça dele. Se você falar com ele em sua própria linguagem, você atinge seu coração.” Nelson Mandela.

Um grande agraço!

Fechar Menu

Olá! Clique aqui e fale com a Dani Amorim

Estou no WhatsApp