Elimine a gordura da sua comunicação

Parece fácil e é!

A questão é saber se você está disposto a seguir essa receita que transforma uma pessoa prolixa, que usa palavras demais, em um comunicador que vai direto ao ponto.

A objetividade está presente numa fala que transmite as informações necessárias. Não adianta falar pouco e não dizer qual a finalidade do assunto, compreende? É preciso falar o que for preciso e garantir que atingiu o objetivo da apresentação, ou seja, sua fala era para motivar, informar, convencer ou entreter? Nada impede que você preencha todas as alternativas.

DICAS PARA TREINAR A OBJETIVIDADE

Com essas dicas você conquistará dois atributos importantes na comunicação. OBJETIVIDADE E CLAREZA.

1- Analise o tema da apresentação.

Em empresas e trabalho em equipe, traduza para: qual será o assunto da reunião?
Relacione os argumentos que darão suporte a sua fala. Elimine a gordura da história, o supérfluo, fixe no que é consistente.
Dica de treinadora: Mesmo o que é consistente não precisa ficar sendo repetido.

2- Pesquise as objeções ao assunto.

Não existe unanimidade quando o assunto é reunir pessoas, então descubra o que poderia ser usado contra os seus argumentos, prepare as respostas com base em dados, histórias que deram certo em situações semelhantes. Não caia em suposições sem fundamentos, porque isso gera conversa desnecessária, inimiga da objetividade.

3- Certifique-se de que os ouvintes saibam sobre o assunto.
Se os ouvintes não souberem do motivo da apresentação, faça com habilidade uma breve exposição dos fatos que levaram você a tratar do tema em questão. Chegar direto ao assunto sem ter o ouvinte preparado, vai gerar uma resistência desnecessária a sua mensagem e você não terá a reação desejada da plateia. Tenha sensibilidade!

4- Pergunte se ficou claro a mensagem

Para facilitar a compreensão, você pode contar uma história semelhante, usar um vídeo de apoio, um texto, ou seja, uma ilustração a mais para tirar a ideia do abstrato.

Nada mais desagradável do que você apresentar uma ideia, proposta, assunto e as pessoas não captarem o que é realmente para ser feito ou a mensagem você planejou deixar. A regra é clara: a responsabilidade é sempre do mensageiro, quem emite a mensagem. Se ficou dúvida, o problema é seu, portanto, pergunte. Vocês ficaram com alguma dúvida? Qual a reflexão que vocês fazem dessa situação?

Aproveito para perguntar: ficou alguma dúvida?



Muito obrigada e até a próxima!

Deixe uma resposta

Fechar Menu

Olá! Clique aqui e fale com a Dani Amorim

Estou no WhatsApp