Trancados em casa somos uma benção!

Trancados em casa somos uma benção!

A pandemia trouxe uma confusão emocional para todos nós, pois além dos desajustes naturais, por NINGUÉM saber ao certo o que fazer no campo desconhecido do coronavírus, ficamos cada vez mais estressados. Parte das medidas são realizadas de forma experimental e isso gera muita insegurança e danos à saúde mental e emocional.

O número de mortes pela doença assusta, mas os resultados são mais positivos que negativos, já que se contabilizam mais pessoas curadas, mas não podemos deixar de lamentar as vidas perdidas em todo o mundo. Há muita dor e medo presentes no nosso dia a dia e a saída é buscar clareza e paz interior. Não há uma solução fora. Só podemos esperar de fora a vacina, não é mesmo?

Com tudo o que está acontecendo, todo o sistema desmoronando e medo instalado, a ordem é TENHA CALMA!

Não é uma tarefa fácil e para quem nunca se interessou em conhecer as próprias emoções ao lidar com o caos, a situação fica pior ainda, afinal, cada um terá que conduzir o processo do seu ponto de vista. O ideal é que seja sem medo, mas com cautela, com fé em Deus, empatia, solidariedade e sabedoria.

Eu olho da minha janela e vejo tudo funcionar na natureza, o Divino está em plena harmonia e trabalhando como sempre num estado de excelência admirável. A pandemia desenvolveu meu dom de admirar o admirável. O ser humano é a única das espécies que está totalmente afetada e também é a única que desequilibra tudo que vive e respira em sua volta. Trancados em casa, somos uma benção!

A vida segue o fluxo.
Imagem de Mircea Iancu por Pixabay

Os pássaros seguem cantando, as flores desabrochando, as águas passando, ou seja, a vida segue jorrando, mas nós seres humanos, estamos entrando em colapso. Eu chamo de colheita, você pode chamar de consequência, o que importa, olhando da minha janela, é que estou assistindo a um filme que escrevemos, roteirizamos e dirigimos. A coletividade está um terror. O campo do inconsciente incompetente, “a gente não sabe que não sabe” cria um bloqueio de aprendizagem.

“A ignorância gera confiança com mais frequência do que o conhecimento.” Charles Darwin

É preciso baixar a bola e começar a ser consciente da incompetência. Saber que não se sabe, que algo está errado é o primeiro passo para aprendermos algo novo.

Observe o adolescente que não aceita que está errado, que não aceita ordens, que não se abre para refletir? É o que somos como humanidade. Desrespeitamos cruelmente a ordem natural das coisas. Intoxicamos, poluímos e interferimos em tudo.

A nossa convicção está tão errada que vivemos uma dor mundial. Quanta dor, sofrimento e prejuízo emocional serão necessários para começarmos a refletir? Quantas convicções cada um de nós não defendeu um dia com unhas e dentes, até que percebemos os estragos que essas ideias causavam e hoje, graças a Deus, mudamos de ideia!

Refletir amadurece sentimentos e ações.
Imagem de rottonara por Pixabay

É preciso questionar a própria vida. Resultados negativos são frutos de escolhas erradas. Todos nós temos o que plantar, Deus nos deu as sementes, mas jogadas no asfalto elas serão improdutivas e não germinarão. A semente só germina no ambiente adequado.

Enquanto a vida segue seu fluxo, eu peço a Deus que nós consigamos fluir com ela, que possamos questionar mais as nossas convicções e que possamos fortalecer crenças positivas que nos sustentem como seres humanos do bem.

Essa sensação de paralisia, gerada pela confusão atual, apenas explodiu as bombas emocionais que armazenamos dentro de nós. De dentro de casa, mas com a internet, muitas pessoas seguem destruindo e milhares construindo.

 Algo bom e próspero vai surgir de dentro do nosso ser. Para muitos, já está acontecendo! Tenho tido alguns altos e baixos emocionais. Especialistas dizem que esse é o caminho. A disruptura tira o chão. Aprender tudo de novo, com o novo, exige coragem e é preciso ter humildade para recomeçar.

Quanta coisa que tínhamos como certas ficou para traz depois da Covid-19? Quantos modelos, sistemas e processos estão caindo e cairão?

Estejamos preparados e abertos às mudanças. Fé em Deus para atravessarmos o que tiver que ser, lembrando sempre que a confusão é dos homens.

Fechar Menu

Olá! Clique aqui e fale com a Dani Amorim

Estou no WhatsApp